Evolução dos calçados femininos ao longo dos anos

Evolução dos calçados femininos ao longo dos anos

Evolução dos calçados femininos também mostra a progresso das mulheres na história.

 

Mais do que um gasto fútil e exagerado para muitos, principalmente para os homens que não entendem a paixão das mulheres por sapatos, os calçados femininos são sinais de uma relação clara dos desejos da mulher, de mudanças na sociedade, de história e de tendências sociais.

Nesse artigo, vamos falar um pouco sobre como foi a evolução dos calçados desde a sua origem até os tempos atuais. Ficou curioso? Então fique com a gente!

 

A origem dos calçados

A origem dos calçados se dá quando o homem, ainda pré-histórico, percebe a necessidade de proteger os seus pés de possíveis machucados ou lesões causados também durante a caça ou mesmo para proteger os pés de eventos climáticos, tais como o frio excessivo ou o calor. Como exemplos de calçados para diferentes climas, estão uma espécie de bota, feita de pele, e sandálias confeccionadas de fibras de árvores como as palmeiras.

 

Surgimento das Civilizações

Com a evolução do tempo e o surgimento de sociedades e da diferenciação entre a classe alta e baixa, o sapato se tornou um símbolo de poder e riqueza. Os Faraós, no Egito, usavam sapatos de couro com enfeites de ouro, já os gregos chegaram a usar dois tipos de sapatos diferentes em cada pé, enquanto os romanos deixaram essa relação entre rico e pobre mais clara: lá as cores dos sapatos diferenciavam o seu nível na pirâmide social.

 

Um pouco adiante

Em períodos onde o poder era traduzido pelas roupas e calçados, a classe baixa, que apenas vivia para trabalhar, utilizava calçados mais confortáveis para ajudá-los a encarar as atividades do dia a dia, usando sapatos parecidos com as sapatilhas dos dias atuais.

Já a nobreza possuía calçados para ficar dentro de casa, uma espécie de chinelo feito de madeira e sapatos de salto para sair. Como os vestidos eram grandes e volumosos, a ideia do sapato com salto era evitar que a roupa se sujasse com o atrito no chão. Esses saltos também eram feitos de madeira, como tamancos.

Em 1640, é registrada a primeira produção em massa de sapatos com a confecção de quase 5 mil calçados para o Exército da Inglaterra, mas foi após  Revolução Industrial, no século XVIII, que a produção de sapatos, de fato aumentou.

 

Até a nossa época

Para chegar até os dias atuais, o sapato ganhou novos materiais, formatos, cores e se tornou mais democrático, além de ter sido um ganho forte para as mulheres, no quesito liberdade, uma vez que desde sempre as mulheres foram obrigadas a seguir padrões, como por exemplo, usar sapatos de cores escuras para mostrar a decência ou não utilizar salto durante o casamento ou até de serem acusadas de feitiçaria por usar salto alto para seduzir um homem.

Até os dias atuais, os calçados passaram de um trabalho artesanal para as produções feitas em grandes indústrias, sendo desde a década de 80, um grande advento de moda. Nesse sentindo, mais uma vez os calçados ajudam a contar a história da humanidade e da evolução das mulheres. Hoje, as mulheres têm a liberdade de ser o que quiserem, usando os calçados que quiserem.

 

Gostou da história dos calçados? Esse foi um pequeno trecho dessa história que mostra como o sapato deixou de ser apenas um instrumento de proteção para os pés para ser isso e muito mais. Não se esqueça de compartilhar esse texto em suas redes sociais! E abuse da sua liberdade de ser mulher! Até a próxima! =)


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados